UM CONTO DE JUVENTUDE: A MELHOR MÚSICA DO MUNDO

Por Leandro Bertoldo Silva

Engraçado como algumas frases nos impactam. Deparei-me com uma delas, lembrada por uma amiga no excelente espaço Jornal Presença Itabirito,MG, na qual fiquei a refletir. Dizia assim:

“Quanto de você existe naquilo que você odeia?”

Essa máxima atribuída a Sigmund Freud remeteu-me a um outro pensamento irmão ao nos trazer a seguinte consideração:

“O que está fora é o que está dentro”.

Não, esse não é de Freud, embora ele pudesse explicar. Eu nem mesmo sei de quem seja, mas lembrei-me de um acontecimento, desses inusitados, e o transformei em história para nunca mais ser esquecida, pois, como dizia Guimarães Rosa, “Eu não sentia nada. Só uma transformação pesável. Muita coisa importante falta nome”…

__________

Uma vez encontrei um menino sozinho na rua. Estava todo sujo. Estava tão sujo, que eu jurava ver poeira saindo do seu corpo quando caminhava em minha direção. Curioso perceber o quanto a sujeira contrastava com sua felicidade. Vinha com um sorriso a esbanjar contentamento. Carregava uma caixinha de fósforo e nela dedilhou um sambinha e, tão logo me viu, começou a cantar:

            Oh, seu moço, por favor, dê um sorriso!

            Porque hoje aprendi o que é o amor.

            O que é o amor…

— Por que está tão feliz, menino? — perguntei admirado.

— Porque hoje conheci a melhor música do mundo e descobri que ela está dentro dessa caixinha! — respondeu-me prontamente.

— Música?! Mas isso não é música! É apenas um batuque!

Ele me olhou de uma maneira tenra e dócil…

— Não, moço… É música. E é tão linda! Mas só os puros podem ouvi-la e reconhecê-la.

— Não é engraçado um rapaz como você, tão sujo, falar de pureza?

Mais uma vez ele pousou em mim um olhar dócil, sorriu e disse:

— Você acha isso mesmo? É, moço… As coisas do mundo, assim como seus ouvidos e olhos, nem sempre são como se diz ou mostra. Preste um pouco mais de atenção… Eu vou ajudar você.

A partir daquele momento, não mais disse nada. Na verdade, não fora preciso. Ele tocou a caixinha de fósforo de uma forma tão maravilhosa, com uma alegria tão especial, eu fui, aos poucos, percebendo a grande música ali presente. Nessa hora, enxerguei, afinal: não era poeira suja a sair de seu corpo, mas partículas minúsculas de luz ao envolvê-lo completamente. Foi quando vi como eu estava enganado pelo pessimismo muitas vezes arrogante dos mais velhos ao julgar ter o direito de achar ser isso natural.

Quando o jovem me viu diferente, deu um sorriso largo e escultural — não me lembrava de ter visto igual — e saiu tocando a sua caixinha de fósforo até sumir de minha vista. Quanto a mim, fiquei feliz. Ele está por aí, na sua missão de caixinha. Por isso, repare em todas as pessoas “sujas” pelos caminhos e, ao invés de se desviar, dê a elas um pouco de atenção e as toque como a uma caixinha de fósforo. O que vier delas pode ser a melhor música do mundo…

___________

*Essa história eu a presenciei em parte. Felizmente me fiz moço para viver por ele a realidade a qual desperdiçou. Compartilhe com um amigo, comente se já viveu alguma situação que o fez repensar conceitos…

Obrigado por sua leitura.

Forte abraço!

4 comentários em “UM CONTO DE JUVENTUDE: A MELHOR MÚSICA DO MUNDO”

  1. Estimado amigo Leandro! Como sempre suas crônicas me inspiram! Acredito que possam ser as sintonias literárias e de pensamentos filosóficos em comum! Coisas de amigo/irmão! Tenho também uma linda lembrança para contar! E essa do fundo do baú heim? Eu tocava e cantava na noite ” nos bailes da vida, ou num bar em troca de pão”… como já cantava o nosso amado Milton! Tinha apenas 15 anos de idade e comecei em Raposos, cidadezinha pacata do interior das Minas Gerais , coladinha na nossa capital Belo Horizonte. Onde vivem até hoje os meus pais. Cidade essa, já sofrida pela intervenção dos processos da exploração complicada do ouro e do minério de ferro. Desde então eu já tinha uma profissão bela; dava aulas de violão de dia e a noite levava a minha alegria através da música. Porém, um trabalho árduo, porque nem sempre “quem pagou quis ouvir! Era assim… Cantar era buscar o caminho que vai dar no sol… tenho comigo as lembranças do que eu era… Para cantar, nada era longe, tudo tão bom… Até a estrada de terra na boleia de um caminhão, era assim”.. rsrsr E era assim mesmo! E numa dessas noites de casa cheia, em um barzinho de um amigo já falecido, que era um tremendo cozinheiro, lembro como se fosse hoje, adentrou à casa um senhor alto, magro, elegantemente vestido, moreno claro, de bigodes e fumava um cigarro. Quieto, só a me observar, tomando uma dose com gelo de sei lá o que, no canto próximo a uma pilastra que dava de encontro a uma janela pequena já bem próximo do palco onde eu estava a tocar e cantar. Naquela época ainda era permitido fumantes dentro dos estabelecimentos, o que me fazia muito mal à garganta já cansada por várias horas de trabalho. Ele pegou a sua caixinha de fósforo e ali tirava todos os ritmos que eu tocava em meu violão! Samba, bossa, bolero, choro, marcha rancho, fox, baladas, pop rocks, jovem guarda, músicas de raiz… e isso para mim foi fantástico porque como me fazia falta uma percussão, meu amigo! Eu tocava e cantava sozinha por mais de 5 horas imagina? Esse senhor de nome Jairo me acompanhou por todas as vezes que ali toquei, todos os sábados de mês a mês, e olha, foi por muitos anos! Já ficava no palco ansiosa á espera de sua fabulosa caixinha de fósforos! Um dia, senti a sua falta ali. Vários sábados sem o batuquim bão de sua caixinha de fósforos. Somente depois fui saber que ele havia falecido! E de uma morte triste, uma doença terrível, ainda sem controle nos anos 80! Vê como uma caixinha de fósforo pode ser capaz de nos tocar a alma e o coração? Deixo aqui um pedacinho de um sambinha interessante que resume bem o nosso tema de hoje, interpretado por Mará do pandeiro, não sei quem é o compositor, e diz assim: – “É na caixinha de fósforo, ou pode ser na latinha, até panela eu aposto, para fazer meu sambinha”! E é isso mesmo! Para ser feliz às vezes nos basta apenas uma caixinha de fósforo!!!
    Um forte abraço, meu amigo!!!

    Curtido por 2 pessoas

Deixe uma resposta para mfranciscablog Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s